Inteligência emocional tudo que você precisa saber

Hoje em dia, a expressão Inteligência Emocional, está dominando os blogs sobre liderança, até porque é uma das 10 habilidades de liderança para o ano de 2020, segundo o Fórum Econômico mundial.

Porém, ainda existe muitas dúvidas sobre o que realmente é Inteligência Emocional e por isso decidimos escrever esse conteúdo.

O que é Inteligência Emocional?

É a habilidade do ser humano em aprender a lidar com suas próprias emoções e aproveitar ao máximo esse domínio para seu próprio benefício. Mas para alcançar a Inteligência Emocional, é preciso também entender e aprender sobre as emoções do próximo.

Dessa forma, Inteligência Emocional é manter o equilíbrio entre o pessoal e o individual.

Qual a fonte científica da Inteligência Emocional.

O tema surgiu de forma organizada e detalhada com o livro Inteligência Emocional, do jornalista e psicólogo Daniel Goleman PhD, no ano de 1995.

Goleman trabalhou por mais de dez anos no The New York Times, na seção de Ciências comportamentais e foi professor de Harvard, onde adquiriu o seu PhD.

Seu livro virou Best-Seller, traduzido em 40 idiomas e possui mais de 5 milhões de unidades vendidas, só no Brasil, foram vendidos mais de 400 mil exemplares.

Como desenvolver a inteligência emocional

O primeiro passo para adquirir inteligência emocional é o autoconhecimento, como vimos acima, é preciso adquirir o controle de suas próprias emoções e isso só é possível, entendendo e conhecendo-se com maestria.

Existem muitas maneiras de intensificar esse conhecimento próprio, começando por ações simples, como se autoquestionar ou fazer um teste de personalidade. Também é possível ser avaliado por terceiros e tirar muitas informações sobre isso. A meditação e o Mindfulness também são ótimas maneiras de se autoconhecer.

A segunda condição é usar desse autoconhecimento para administrar suas emoções, identificando gatilhos que te levam ao desequilíbrio emocional e ações que te tragam temperança.

Este controle pode vir através do exercício físico, técnicas de respiração, prática de comunicações não verbais positivas, processo de coaching.

Para o pilar social, ou seja, a inteligência emocional voltada ao relacionamento interpessoal, a melhor forma de se desenvolver é através da empatia. A arte de se colocar no lugar do outro, sentindo como ele, pensando como ele.

A melhor forma de criar a empatia é ouvir mais do que falar, se preocupar em conhecer realmente a outra pessoa, não julgar precocemente as pessoas.

Por fim, é preciso transformar essas ações em algo sistemático, como ocorre em um processo de musculação, praticar constantemente, de forma a “moldar o cérebro”, através de novas crenças.

A inteligência emocional traz paz!

É fácil encontrar conteúdos sobre o tema?

Como dissemos em nossa introdução, o tema Inteligência Emocional, está sendo debatido em todos os canais de comunicação, que apresente conteúdo para liderança e apesar de possuir muitos conteúdos científicos, ainda não é encontrado na maioria dos cursos de gestão.

Por isso, listamos abaixo uma série de livros que tratam da inteligência Emocional.

01 – Inteligência Emocional – Daniel Goleman

Publicado pela primeira vez em 1995, nos Estados Unidos, este livro transformou a maneira de pensar a inteligência. Alterou práticas de educação e mudou o mundo dos negócios. Das fronteiras da psicologia e da neurociência, Daniel Goleman trouxe o conceito de “duas mentes” – a racional e a emocional – e explicou como, juntas, elas moldam nosso destino.

02 – Inteligência Emocional 2.0 –  Travis BradBerry e Jean Graves

Aplicar a inteligência emocional não só nas empresas, mas na vida, é extremamente importante e coloca quem a usa à frente dos demais. Não nos torna melhor do que ninguém, mas nos deixa mais bem-preparados para enfrentar os desafios e os prazos que nos afligem. Este livro aborda o tema de maneira didática e explicativa. A divisão dos capítulos vai nos guiar por um caminho de exercícios diários e muita disciplina para alcançarmos o objetivo. É um apoio importante para lidarmos com situações que, em muitas vezes, o pior oponente somos nós mesmos.

03 – O poder da Ação – Paulo Vieira

Neste livro, Paulo Vieira lhe convida a quebrar o ciclo vicioso e iniciar um caminho de realização. Para isso, ele apresenta o método responsável por impactar 250 mil pessoas ao longo de sua carreira – e que pode ser a chave para o que você tanto procura. No decorrer destas páginas, o autor lhe entrega uma bússola. E para conseguir se guiar por ela você terá de assumir um compromisso com a mudança.

04 – O poder do subconsciente – Joseph Murphy

O poder do subconsciente lhe ensinará técnicas para desenvolver todo o potencial da sua mente, superando adversidades, alcançando seus objetivos e mudando situações aparentemente irreversíveis. O poder do subconsciente é um guia para libertar o poder da mente que revela os segredos para melhorar um casamento, vencer medos, eliminar hábitos nocivos, curar pequenos problemas de saúde e obter promoções, prestígio, dinheiro e felicidade pessoal.

05 – O jeito Harvard de ser feliz – Shawn Achor

Você não precisa ter sucesso para ser feliz, mas precisa ser feliz para ter sucesso. Este livro não discute apenas como ser mais feliz, trata de nos ensinar a colher os frutos de uma atitude mental mais positiva que proporcione efeitos extraordinários no nosso trabalho e na nossa vida, sendo leitura obrigatória para todos aqueles que buscam a excelência em um mundo onde a carga de trabalho, o estresse e o negativismo estão cada vez maiores.

06 – Comunicação não-violenta – Marshall Rosemberg

Manual prático e didático que apresenta metodologia criada pelo autor, voltada para aprimorar os relacionamentos interpessoais e diminuir a violência no mundo. Aplicável em centenas de situações que exigem clareza na comunicação: em fábricas, escolas, comunidades carentes e até em graves conflitos políticos.

07 – Agilidade Emocional – Susan David

Escrito pela renomada psicóloga e professora da Escola de Medicina de Harvard, Susan David, primeiro lugar na lista dos mais vendidos do The Wall Street Journal, Agilidade Emocional apresenta, com sagacidade e empatia, uma abordagem revolucionária para lidar com as reviravoltas da vida para atingir seus objetivos mais importantes com sucesso.

08 – Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes – Stephen R. Covey

Esse é um clássico dos livros de Inteligência Emocional. Ele conta com mais de 25 milhões de exemplares vendidos, e seu principal atrativo é que oferece uma abordagem holística sobre como alcançar o sucesso, a felicidade e o bem-estar.

09 – Inteligência Emocional e a arte de educar nossos filhos – John Gottman

Com prefácio de Daniel Goleman, Inteligência Emocional e a Arte de Educar Nossos Filhos mostra como aplicar esse conceito na educação das crianças. Sem lançar mão de complexas teorias, o psicólogo – que já havia colaborado com suas pesquisas comportamentais para o livro de Goleman – mostra como os pais podem se tornar “preparadores emocionais” e, com isso, ensinar seus filhos a serem emocionalmente inteligentes.

10 – Liderança com inteligência Emocional – David R. Caruso e Peter Salovey

A ideia deste livro é substituir a visão convencional das emoções por uma visão inteligente e eficaz. Neste livro, os autores descrevem uma hierarquia prática das habilidades emocionais, em quatro partes – identificar as emoções, utilizá-las para melhorar o raciocínio, compreendê-las e administrá-las -, e mostram como é possível mensurar, aprender e desenvolver cada uma delas de maneira integrada, resolvendo assim nossos mais complexos problemas no trabalho.

O poder da Inteligência Emocional

Já não é mais apenas um diferencial, a Inteligência Emocional, se tornou uma habilidade obrigatória para o mundo corporativo. Já não e mais um assunto discutido apenas para os que buscam um maior conhecimento através de livros, é tema de rodas de discussão, de corredor de empresa e até do chá da tarde, entre os amigos de folga!

Mas, apesar de tudo isso, ainda está longe de se tornar a prática vivenciada por todas essas pessoas, como também o é nas próprias corporações e até mesmo nos núcleos familiares. Isso porque, exige muita transformação pessoal, quebra de paradigmas e reprogramação de crenças arraigadas em anos de repetição de padrão.

Por isso mesmo é que adquirir Inteligência Emocional traz poder! O poder de se autoconhecer, a ponto de identificar os causadores do desequilíbrio emocional, mas além de identificar, conseguir controlar e não mais sair gritando como um louco.

Imagine você conseguir discernir em um momento de crise, identificando sentimentos e pensamentos e assim transmitindo uma comunicação equilibrada e assertiva!

Isso é apenas a ponta das conquistas que a Inteligência Emocional pode proporcionar. O controle de suas emoções e uso consciente delas a seu favor, irá te abrir muitas portas e te elevar dentro do seu ambiente profissional, mas também no ciclo familiar e de amigos.

Além disso, Inteligência Emocional é saber lidar com as emoções dos outros, aprendendo a ouvir, desenvolver e empoderar a todos que lhe cerca, principalmente sua equipe da empresa. Isso sim é poder!!

Os 5 pilares da inteligência emocional

O pai da Inteligência Emocional, O Jornalista e Psicólogo Daniel Goleman, criou o conceito através de seu livro best-seller de 1995 e dentro desse livro, ele apresentou os 5 pilares para adquirir essa habilidade. Abaixo apresentamos esses pilares com o intuito de facilitar sua trajetória rumo à Inteligência Emocional!

Conhecer suas próprias emoções:

Reconhecer verdadeiramente seus sentimentos, a ponto de nomear corretamente as suas emoções, é o primeiro passo fundamental para desenvolver a Inteligência Emocional. Ou seja, é preciso conhecer as emoções para poder gerenciá-las. Por isso, conhecer as próprias emoções é a chave da Inteligência Emocional.

Controlar as emoções:

Após conhecer suas emoções, é hora e controlá-las, para isso, normalmente precisamos identificar os gatilhos, ou seja, quais são os causadores de nossos desequilíbrios emocionais e depois devemos neutralizá-los.

Automotivação:

Você, no controle e gerenciamento das suas emoções, tem um caminho muito mais tranquilo e equilibrado em direção aos seus objetivos. Isso implica em mudanças profundas, reprogramações de crenças limitantes e mudança na forma de comunicar-se com os outros e de pensar, voltando-se para a positividade.

Empatia:

Estar no lugar do outro, de forma verdadeira, sem julgamentos, sentido e pensando como a outra pessoa pensa, não como você quer que ele pense. É dessa forma que você irá aplicar a Inteligência Emocional Social.

Relacionar-se interpessoalmente:

Somos seres sociais e assim devemos nos manter! A comunicação interpessoal é nossa oportunidade de desenvolver Inteligência Emocional, para isso precisamos de um equilíbrio entre a empatia, autocontrole e autoconsciência!

Esperamos que este conteúdo lhe tenha trazido o interesse em desenvolver Inteligência Emocional, mas como já dissemos acima, esta é uma jornada difícil e não se deve tentar tudo de forma sozinha e isolada!

Para isso a Plena Performance possui vários serviços que podem lhe auxiliar nessa conquista!

Conheça o Life coaching, o Assessment e outros coachings que irão lhe dar a bagagem necessária para alcançar esta habilidade vital!

Gostou desse artigo?

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade


WeCreativez WhatsApp Support
Como podemos ajudar?
Olá