Separamos algumas dicas para você não cair no vermelho

A relação com o dinheiro não é algo confortável para muitas pessoas. Em tempos de crise e incertezas econômicas, esse desconforto aumenta ainda mais.

Infelizmente, é comum encontrarmos indivíduos que não sabem lidar adequadamente com os seus rendimentos e acabam endividados.

Para ajudar você a não cair nessa e a adquirir hábitos financeiros saudáveis, criamos este texto com 10 dicas para não ficar no vermelho:

1. Crie um orçamento

Criar um orçamento é o primeiro passo para organizar a vida financeira e não entrar no vermelho. Anote todas as suas despesas fixas e anote também os gastos extras, com roupas e entretenimento, por exemplo. Ao ter o contato visual com todas as suas receitas e gastos, é possível ver quanto dinheiro está entrando e quanto dinheiro está saindo. E, melhor ainda, é possível ver para onde o dinheiro está indo e, assim, identificar formas de poupá-lo.

Temos uma planilha de controle financeiro que pode lhe ajudar nessa hora! Baixe agora é gratuita!

Moedas

2. Automatize suas finanças

Verifique a possibilidade de automatizar o pagamento de despesas fixas, isso ajudará a evitar o esquecimento e assim, não precisará pagar pelas taxas de atraso. Além disso, você pode programar que uma parte do seu rendimento mensal vá direto para a sua poupança, sem dar a chance de você pensar duas vezes sobre isso.

3. Cuidado com as armadilhas (hábitos caros)

Alguns hábitos podem estar custando caro. Saídas com amigos, jantares, cinemas… o ideal é que tudo isso seja previsto no orçamento. Além disso, recomenda-se repensar alguns hábitos. Por exemplo, se você vai à cafeteria cinco vezes por semana, experimente começar a ir duas. Se você costuma sair para jantar e ir ao cinema na mesma noite, tente escolher ou uma ou outra coisa, de acordo com sua necessidade.

4. Encerre uma conta/assinatura que você tenha parado de usar

Talvez você esteja pagando mensalmente por um serviço que não usa ou que não agrega mais tanto valor. Repense seus gastos fixos mensais e veja o que não faz mais sentido estar entre suas despesas.

5. Pague suas dívidas

Essa é uma dica bem interessante para quem não quer se endividar. Priorize as dívidas cujos juros são mais altos. Porém, lembre-se de quitar todas elas. E aqui vai um adendo: não mantenha um padrão de vida incompatível com o que você ganha, pois desse jeito sua vida vai virar um ciclo de dívidas sem fim.

6. Crie um fundo para emergências

Para tentar evitar “apertos”, o ideal é criar um fundo para emergências que tenha uma quantia suficiente para suprir despesas de dois a três meses, no caso de ficar sem trabalho ou ter que lidar com algum imprevisto. Se por acaso essa economia é irreal neste momento para você, o recomendando é que se faça como as crianças fazem com seus cofrinhos: vá guardando notas pequenas e moedas, até que consiga expandir suas economias.

7. Programe suas compras

Planeje grandes compras semanais ou até mensais, para evitar ir tanto ao supermercado, o que economiza seu tempo e sua gasolina. Assim, fica mais fácil prever esse item no momento de criar o orçamento, e você sempre terá comida em casa, além de produtos de limpeza e higiene.

8. Tenha objetivos de longo prazo – e economize para eles

Pode ser difícil pensar em (e se motivar para) guardar dinheiro, sem ter um motivo maior para isso. Então, visualize seus objetivos de longo prazo: casar, comprar uma casa, se mudar para uma casa maior, passar férias em um lugar paradisíaco, trocar de carro…. e tenha esse objetivo em mente toda vez que for pensar em gastar seu dinheiro.

O objetivo com isso não é fazer com que você viva sem nenhum lazer e entretenimento, mas que repense gastos supérfluos e veja como a economia em coisas insignificantes pode te ajudar a chegar mais perto dos seus sonhos.

9. Pense no meio ambiente – e economize com isso

Desligar a torneira enquanto escova os dentes ou faz a barba, apagar a luz quando sair de um cômodo, desligar a TV se ninguém estiver assistindo… Pequenos gestos que fazem a diferença para o seu bolso… e para o planeta!

10. Tenha alguém para conversar

É importante ter alguém para compartilhar seus medos, preocupações, esperanças.

De preferência, alguém que tenha bons hábitos financeiros e que possa te orientar. Por exemplo, talvez sua mãe tenha ótimos segredos de como economizar no supermercado, e um amigo do trabalho pode te mostrar maneiras de economizar no almoço ou happy hour.

Esperemos que essas orientações sejam muito úteis na organização da sua vida financeira!

Porém, se você tiver alguma dificuldade ou precisar de uma ação mais profunda nas suas finanças, entre em contato conosco e saiba como um coach financeiro pode te ajudar!

Gostou desse artigo?

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade


WeCreativez WhatsApp Support
Como podemos ajudar?
Olá